Segue-me tu

19 out

Tem dias que eu fico lembrando  das pessoas que cresceram comigo, que brincaram comigo, que eu conheci em determinado ponto da vida e que professavam a mesma fé que eu mas hoje em dia muitas já não lembram mais nem o que é professar.

Direto a gente encontra fulano na rua e ciclano na internet e vê o quanto mudou, o quanto cresceu, e o quanto abandonou de si, e de certo modo o quanto definhou, porém achando que é o foda e que todo mundo agora o vê  como uma pessoa de sucesso.

Tantas amigas que eram tão iguais a você, mas que em determinado momento da vida mudaram o foco,   se extraviam daquela caminhada tão simples de obediência e fé…  e os motivos são sempre  os mesmos, “foi a maturidade” , “foi a faculdade”, foram “problemas de família”, “nunca consegui  de verdade me firmar na fé”… e seguem coisas do tipo, mas o fato é que quando você quer e você ama, você segue e contínua mesmo estando fraco, estando frio, estando desagradável e se sentindo só e sempre diferente da maioria, mas você continua, porque você sabe que vale a pena, e que é real e você simplesmente PRECISA da presença dele os 100% que existem disponível dentro de você te dando sentindo pra tudo, igual as poesias e filmes de comédia romântica que você tanto vê e chora,  igual aos posts de  amor no facebook que você compartilha porque são os que mais te deixam “emocionadinho/a” ,  quando você ama e é amado você não desiste e não abre mão, então porque com Deus é diferente? Em que ponto você desistiu? Seja lá onde for. Encontre-o!

Em que ponto a gente abre mão de sentir aquela presença violenta de Deus que tanto nos preenche e satisfaz mesmo quando tá tudo uma merda, pra tomarmos atitudes simplesmente baseadas no “eu quero, porque quero, porque quero”  ou no  “eu não aguento mais, então vou fazer do meu jeito”, em que ponto a gente passa a o sentir só  lá no fundinho? Porque vai abrindo mão, vai negando a vida dele, os valores dele pra preencher pelos nossos?

Em que ponto a gente começa a achar que é forte o bastante pros destilados e que se passar da conta umas vezinhas não vai afetar em nada nossa vida com Deus porque a gente não se embriaga e já sabe beber, em que ponto a menina bonita acha que se der uma transadinha aqui e ali e descambar tudo e achaque não vai chegar o dia em que ela irá se arrepender amargamente de não ter esperado e se sentir culpada e sozinha com seus destroços ou com sua doença ou seus nove meses que a aguardam. Quando a gente vai perceber que todo prazer aquém do criador vai ser  SEMPRE tão passageiro, tão vazio e desprovido de significado, inútil e como um sopro?

A que ponto chega um cara que provou Deus e viu que ele é bom, mas por conta de vaidade e pra agradar uma galera que em 5 anos ele nunca mais  vai ver, despreza a Deus e sai por ai comendo todo mundo e nunca mais tem um final de semana sóbrio? Porque velho? Pra que? Porque trocar aquela alegria que a gente sentia quando era criança e tudo era tão simples e verdadeiro quando se sabe, ah sim , no fundo se sabe, que a única coisa que realmente importa na vida é isso, se sentir verdadeiro consigo mesmo, unido a quem você realmente é, ao seu eu interior,a aquele que te faz completo!  Ai muitos vão dizer… “ ah, mas eu sinto paz, eu ainda sinto a presença de Deus!” ,  sim você sente porque ainda existe a graça sobre você, parte da presença e da paz você já extinguiu de dentro de si e cada vez mais vai extinguir, cada escolha errada livre e consciente, cada passo mau dado que te leva pra longe de Deus e do propósito que ele te criou(que é tão, tão melhor mais alto mais bonito e prazeroso) ,vai exaurindo mais a presença dele, você vai perdendo os seus bocados e deixando de senti-la  até chegar o momento em que será por completo.

E ai mermão, ai você está só, papai e mamãe não podem te ajudar.

Meu descarrego esta longe de ser um julgamento, axo que é só um leve desconforto e irritação de querer mais pra quem já experimentou mais, talvez um saudosismo do tempo em que tudo era mais simples e as pessoas também, pra eu lembrar, me entristecer sim mas continuar a vida com um olho em mim e um olho na estrada.

“Quanto a ti que te importa? Segue-me tu.”  João 21:22

Anúncios

2 Respostas to “Segue-me tu”

  1. Ingrid outubro 22, 2012 às 2:12 am #

    Triste perceber que muitos ficaram para trás na caminhada com Cristo. Sei como é.

  2. uhun abril 9, 2013 às 3:45 am #

    Reblogged this on Uhun..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: