Da antropologia amadora

11 set

Cópia de 350720820_8f15c70hjjccf

Difícil entender a extrema necessidade humana de se passar algo aos outros.

Está todo mundo a todo tempo tentando passar algo de si , algo que se queira parecer aos outros , ou as vezes em poucos casos algo que realmente se é .Mas que seria enxergado com naturalidade pelos outros não fosse a forsação de barra da própria pessoa.

Difícil me entender?Não que eu queira passar-me por uma pessoa confusa. =)

 É da natureza humana pregar sobre o que se é e como se é, a alguns parece totalmente inaceitável a idéia de que o outro pense dele o que bem entender então projetamos pra fora nossa maravilhosa concepção de nós mesmos pra que os outros a engulam.

Ainda não consegui me fazer entender,mas atenção pois é um grande mal moderno.Ao que tudo indica se o bom senso não impedir, daqui a 20 anos as pessoas serão classificadas por grupos na carteira de identidade.

Suponhamos que eu, Fernanda , tenha o ardente desejo de ser considerada a gostosinha da escola.Pois bem , as vezes beleza e gostosidez nem tem muito a ver com o objetivo final. Não importa como e quem você seja, se você trabalhar bem ,no final as pessoas vão te achar a mais gostosa.

 Suponhamos que eu  ainda, Fernanda ,cisme de ser absolutamente assediada na internet, sabe se lá por quais motivos, seja pela baixa estima ou pela alta mesmo, motivos “nobres “ e aceitáveis, ou não.Para tal é absolutamente necessário que eu tenha depoimentos masculinos mil em meu orkut , e para que tal aconteça o meu papo “lero lero” tem que seguir a linha da gostosa que faz a difícil , minhas fotos de biquíni não podem faltar, acrescento então aquelas de óculos escuros e muito peito á mostra e outras com toda a galerinha se divertindo ,legendas interessantes porem picantes e voilá temos uma gostosinha fabricada na internet não importando lá quem seja ela de verdade, logo estarei cercada de caras e de cantadas e de certa forma feliz com o mundo que criei pra mim.

Suponhamos que cansei – me da futilidade da vida e almeje mudanças no mundo então depois de uns filmes e conhecer pessoas diferentes eu não coma mais carne e martele isso na orelha das pessoas que precisam das tantas vitaminas b e dos ácidos graxos da carne pra ter uma saúde legal ,porque agora você encontrou algo que realmente importa, a dor dos animais que são brutalmente assassinados é inaceitável e você está disposto a lutar como puder contra isso, alêm de fazendo sua parte tentando fazer a dos outros e de quebra mostrando ao mundo todo conhecimento “vegan pride”.Se eu não bebo, se eu não fumo e não como animais apenas animais vegetais é o que sou, é como sou, resolvi ser pra agradar a mim mesma, porque eu acho que é esse tipo de pessoa que quero ser mas o que acontece por tabela é sempre para que eu mostre o que eu sou.

 Mais uma vez eu , eu descobri algumas bandas diferentes, resolvi parar de escutar axé e sertanejo então de repente me vejo enfronhada no meio da musica alternativa, torno me indie , visto me indie , sinto me hype,freqüento lugares que otimizam meu novo gosto musical, me entrego as gírias e as mesmas peculiaridades da classe, logo logo, eu fumo ,me tatuo e tomo as bebidinhas padrão e rapidamente estarei freqüentando a casa de um Dj fervidinho que vai começar a me passar uns toques para me iniciar na picape.

O que eu sou?Eu sou um moderno.

 Eu decido mostrar o lado que é bonito de ser visto e que pode ser gerado por mim , se eu só me dou a poesia e ao sarau, se é Los hermanos ou se sou do rock…tudo por um estereotipo marcante.

Não sabendo eu que o melhor da vida é o que é autêntico, simples e real e que gente de verdade gosta de gente de verdade e que não se consegue atuar pra sempre, mal sei eu  que existe um grupo de pessoas que busca por verdade e por não gastar o tempinho precioso que se tem em vida com essas semelhanças acima, a vida é estranha demais, complicada demais e danosa demais para que se gaste tempo inventando vidas paralelas e pompa , não é preciso .. é necessário que sejamos nós mesmos, o menos imbecis possíveis e o mais verdadeiros e sem graça que possamos ser.

O desinteressante é interessante!!

Eu realmente  não sei que tipo de garota que eu sou ou vou ser, e sinceramente não sei ao certo qual garota tenho sido, não tenho nada em que me afirmar… assim mesmo afirmo que é uma vida fascinante , mas dá medo as vezes.

Eu quero verdade!!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: